quinta-feira, 14 de maio de 2015

Lembranças


(1015)
Lembranças ternas,
boas, queridas,
lindas lembranças
que nos vem a mente
sem nem mesmo a gente
querer se lembrar,
são raios de luz
e de esperanças
invadindo a alma
clareando tudo
nos trazendo calma,
pois é tão gostoso
a gente lembrar
dos anos felizes
de quando menina
ia ver o mar
sentar na areia
com ela brincar
fazendo castelos
que depois caíam
e pro mar voltavam.
É tão bom lembrar!
Dá a volta por cima,
por cima do mar,
que é um outro mundo
tão desconhecido
como o infinito
que talvez um dia
possamos achar
e de lá, distante,
olhando a terra
todo o universo
de ponta  a ponta
possamos ver
o que tem dentro
do imenso mar
e o que flutua
nessas ondas verdes
e poder olhar
pra mãe Iemanjá
e de lá, quem sabe
lembrar que um dia
quis tanto ver
essa mãe querida
mas não tinha como
e nem sabia como
deveria agir;
tinha que galgar
todo o infinito
pra ver Deus um dia
pra ver os Santos
tudo, tudo isso
com os olhos d’alma
numa atmosfera
rósea, muito calma.
Se estamos lá
lembramos de lá
de todo um passado
que ficou pra trás
e vezes queremos
sem nem entender
continuar agindo
como, se o passado
ainda existisse
mesmo que tivesse
sido muito ruim;
É a vibração
do tempo girando
em velocidade
que nos traz lembranças
sempre, do passado
e essas vibrações
levam ao futuro
que não tarda a vir.
Quanta coisa Deus
que o ser humano
tenta descobrir! 
Alina Castelo Branco
(17/05/1979)

Nenhum comentário:

Postar um comentário