quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O Homem


(157)
O homem culto, entendeu
e agora, resolveu
que vai ser muito maior
muito maior que Deus;
só porque  ele não vê
esse Deus que tanto falo
pensa logo que é mais fácil
atacá-lo, vencê-lo
e quem sabe, derrubá-lo.
Como o homem é imbecil
querendo mudar o mundo
por isso não é feliz;
desse mundo gigantesco
fazê-lo à sua maneira
é uma coisa que nunca
entra na minha cabeça;
negar uma força imensa
que envolver toda a gente
que muda as estações
pois ninguém sabe mais
quando é inverno ou verão;
que faz explodir vulcões
tremer e rachar o chão,
que faz acabarem cidades
pra destruir as maldades
que impera nos corações
dos homens maus traiçoeiros
é preciso serem loucos
ou serem enfim, ateus
para ainda duvidarem
do grande poder de Deus.
Alina Castelo Branco
(06/09/1976)


Angústia


(367)
É desejar e não conseguir
é querer, é lutar
é tentar vencer;
é lembrar um amor
e não poder esquecer;
é riscar o passado
e olhar o presente
dando mais valor;
é não se incomodar
é querer plantar
e colher a flor;
é saber criar
algo de novo
para o seu viver
é idealizar
é escrever
é imaginar
é querer viver.

Se nessa angústia
tão rotineira
tão permanente
que vive sempre
acompanhando
a alma da gente
o renovar constante
de um novo dia
de um ideal
firme e persistente
que faz com que
se vá em frente
e procure tirar
os pés do chão
que vivem colados
porque nos falta
imaginação
isso tudo resumindo
é que nos dá
uma grande angústia
e nos impulsiona
para o futuro
sem nos deixar
ficar parados
pois se a terra
nunca parou
vive girando
em velocidade
é pra mostrar
a todos nós
que essa angústia
que vive nela
é que leva o homem
a conquistar
grandes façanhas
e que nos dá
toda a coragem
e criatividade
para conseguirmos
a felicidade.

É essa busca teimosa
atrás de dias melhores
pra nós e nossos filhos
que nos provoca angústia
mistura de um passado
ligado a um presente
passado bem analisado
pra melhorar o momento
momento bem atual
que tem de ser renovado
pra garantir um futuro feliz,
bem melhor e menos angustiado.
Alina Castelo Branco
(02/09/1976)

Castigo, Qual?


(325)
Qual o castigo pra mãe
que mata seu próprio filho
e que lhe tira a vida
deixando voltar espírito
sem ter direito a ganhar
uma maior evolução
sem ter direito aos céus
e a presença de Deus;
qual o castigo pra mãe
que não deixa nascer
aquele filho que vem
pra melhorar e crescer
e aqui na terra dura
cheia de mil sofrimentos
vem descontar seus pecados
e também os seus tormentos
qual o castigo pra mãe
que não tem fé suficiente
pra dedicar atenção
a esse filho que vem
fruto do seu coração?
Alina Castelo Branco
(28/01/1977)


Sem Filhos


(321)
Você que não teve
a sorte de ter filhos
mas os deseja
de corpo e alma,
sinceramente, 
eu me pergunto 
por que você 
quer perder a calma? 
Você sabe 
o que é um filho? 
É bom, não nego 
é delirante 
é uma coisa 
uma emoção 
estonteante 
e o trabalho 
que ele dar 
só com amor 
mais muito amor 
você consegue 
bem suportar; 
ainda assim 
você que quer 
ser pai ou mãe 
só lhe aviso 
de coração 
amor e dor 
andam com o filho 
e com a mãe 
são duas almas 
gêmeas, irmãs. 
Não se lamente 
por não ter tido 
um filho 
ou uma filha 
você seguiu 
uma outra trilha 
há um vazio 
não resta dúvida 
mas há também 
a compensação 
de poder ver 
e imaginar 
a sua moda 
bem do seu jeito 
na sua eterna 
e triste solidão 
um filho seu 
um filho bom 
sem vir a ter 
uma decepção! 
Alina Castelo Branco 
(26/01/1977) 


Realidade


(319)
Negativismo 

não é pra mim
sou otimista
ora se sou; 
apenas vejo 
enxergo bem 
pois Deus me deu 
esse dom também; 
é engraçado 
você poder 
bem analisar 
ir no profundo 
de cada alma 
e passear 
palmo por palmo 
assim poder 
verificar 
como é sofrida 
esse mundo louco 
em cada um 
há um sofrimento 
uma tristeza 
uma renúncia 
e o sorriso 
sempre nos lábios 
e os abraços 
bem apertados 
disfarçam bem 
como eles vivem 
tão abafados; 
e essa alegria 
que em cada rosto 
a gente ver 
não é além 
de uma vontade 
louca varrida 
de eliminar 
todo o sofrer. 
Alina Castelo Branco 
(26/01/1977)


É, Vale!...


(312)
Durante todo tempo
vivo a orar
nunca me divirto
vivo a trabalhar;
também tantos filhos
que botei no mundo
só me dão trabalho
e amor profundo;
mas vale a pena
a dedicação
é melhor mil vezes
que a dura e triste
cruel solidão;
enquanto rezo
não me entristeço;
enquanto trabalho
as dores esqueço;
e quanto aos filhos
e também aos netos
que me evitam
a solidão
esses me animam
me dão apoio
me dão carinho
e muita alegria
pro meu coração.

É, vale a pena
viver na vida
sempre a rezar
por mim por eles
por todos aqueles
que devemos amar!
Alina Castelo Branco 
(23/01/1977)


Tudo Bem!


(310)
Tudo correndo
manso tranquilo;
fazia tempo
que eu não via
a minha casa
a minha vida
sendo levada
tão bonitinha
tão de mansinho
tudo certinho;
de vez em quando
vem essa calma
é uma trégua
pra minha alma
que normalmente
vive lotada
de mil problemas
e confusões
e de repente
vem lá dos céus
lindo presente
pra suavizar
e dar alento
a esse pobre
e tão sofrido
meu coração;
essa paz
e tranquilidade
que reina hoje
dentro do meu lar
que construí
há tanto tempo
isso faz bem
me dá apoio
e me dá alento.
Alina Castelo Branco 
(20/01/1977)


Só Bondade!


(306)
Como acabar com a maldade
dessa gente tão tacanha
tão ruim e desprezível
que enxovalha a moral
da criatura humana
e destrói seus sentimentos
com tamanha ignorância?
Só existe uma coisa
que anula a maldade
dessas fracas criaturas
e nos fazem encontrar
outros caminhos
e novas aberturas
caminhos da verdade
que fazem as nossas vidas
ficarem mais queridas;
só com a bondade
sincera e desmedida
é que anulamos
toda a maldade
e curamos
todas as feridas:
se todos tivessem o dom
de falar, de escrever
haveria mais amor
e também menos sofrer.
Alina Castelo Branco
(18/01/1977)


Convergindo


(305)
Homens e mulheres
no mundo a caminhar!...
A estrada é longa
o que vão achar?
Vários caminhos
convergindo todos
na mesma direção;
várias estradas
todas se abrindo
para vermos Cristo
com o coração
e nesses caminhos
flores e espinhos
com toda essa gente
sempre a caminhar
e de mãos dadas
a humanidade
vai esperançosa
procurando paz
e botões de rosa;
quebrando os espinhos
que sempre surgem
pelos caminhos
firme e constante
vai toda essa gente
procurando Deus
feliz e contente.
Alina Castelo Branco
(18/01/1977)


Bem Distante


(302)
Quando mais velha, ficar
não vou gostar de tumulto
não vou gostar de barulho
o que vou mesmo querer
é muito, muito amar
é morar bem pertinho
do mar.

Quando as forças fraquejarem
quando não sentir desejos
de correr de lá pra cá
e deixar tudo de lado
pra viver na solidão
vou querer viver apenas
de oração.

Tendo o mar à minha frente
e uma casinha singela
pequenina e bem cuidada
o carinho dos meus filhos
alegria dos netos meus
vou viver muito, feliz
pra Deus!...
Alina Castelo Branco 
(13/01/1977) 


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Toque de Amor


(257)
Toque de amor
chega o Natal!
Todo o universo
vive um sonho
feito em verso
porque o Natal
é renovação
é felicidade
para o coração!
Alina Castelo Branco
(06/12/1976)


Bíblia


(248)
Só lendo a Bíblia
e estudando
bem entendo
e analisando
é que vamos ver
e dela tirar
todas as conclusões
pro nosso viver
pois quando se aprende
a analisar
o que Cristo disse
e o que Ele quis
nos ensinar
é aí que vemos
com mais realeza
toda Omnipotência
de um Deus clemente
bom e generoso
com um poder imenso
para toda gente!

Alina Castelo Branco 
(01/12/1976)


Catequese


(247)

Final do ano
final das aulas
quantas crianças
bem preparadas
pra receber
Cristo Jesus;
quantas crianças
que aprendera,
e admiraram
o seu martírio
quando o pregaram
sem piedade
e o fizeram
morrer na cruz;
e essas crianças
que encontraram
nessa paróquia
Cristo Redentor
muito carinho
e muito amor
tenho a certeza
que vão ser felizes
não vão chorar
e nem sofrer de dor!
Alina Castelo Branco 
(19/11/1976)


Sexo


(785)
Evito sempre

falar de sexo,
o amor carnal
que tantos males
já vem trazendo,
principalmente, 
se não sabemos 
bem aplicá-lo 
pois acho até 
que há um pouco 
de confusão 
em tudo que existe 
em relação 
a sexo, então. 

Separar os dois
amor e sexo
lógico que não dá,
evidentemente, 
quando se trata 
de um casal; 
é bom no entanto 
que tanto o homem 
como mulher 
olhem o sexo 
com mais firmeza 
e responsabilidade 
para poder 
ver a beleza 
e assim poder 
ter felicidade.

Na vida tudo
tem os dois lados;
deve-se ver
o lado bom 
que a coisa tem 
e não agir, 
inconsequentemente, 
criando dramas tremendos 
no inconsciente 
porque o sexo 
quando existe por existir, 
sem objetivo 
sem um ideal a construir 
torna as criaturas 
embrutecidas 
em vez de puras 
tornam-se frias e calculistas 
pois a realidade 
quando é brutal 
ela desgasta, 
mata lá dentro 
tudo, afinal. 

Sexo sem amor
é como no jardim
ver uma flor
que não tem perfume 
e por conseguinte decepciona 
porque no normal 
quando encontramos 
uma linda flor 
é verificar 
e nos deliciar 
com o perfume 
embriagador 
e quando não há 
nada a encontrar 
nada a penetrar 
no nosso coração
vem para nós

uma grande, imensa,
cruel decepção.
Alina Castelo Branco 
(21/08/1976)


Sem Deus


(781)
Tem sempre um dia
em que a gente
está triste e fria...
Você está morta
está sem vida
nada lhe altera a situação,
porque lhe falta
muito calor no coração.
Isso acontece
quando a gente
está sozinha sem Deus.
Pede perdão!
Vamos procurá-LO
pra fazer as pazes
e procurar ver Deus
no nossos irmãos
no nosso vizinho
no nossos colegas
nossos pais
nossos avós
nossa sogra.
E se nós ofendemos
e se prejudicamos
mesmo sem querer
sejamos humildes
de coração e de joelhos
peçamos perdão.
Alina Castelo Branco
(20/08/1976)


Vento, Ó Vento!


(782)
Vento, ó vento
que varre, varre
sacode casas
derruba tudo
na sua fúria e velocidade
pra mim seu nome
apenas é um
é vento, apenas
e mais nenhum.

O que você
quer de nós, todos
quando ultrapassa
todo limite
e problema cria
para as pessoas?

Por que motivo
você às vezes
que é tão calmo
e tão suave
se enfurece e de repente
não vê mais nada
e nem a gente;
nem as crianças tão inocentes
e os animais
que servem o homem
até demais
e no furor
que você vem
arrasta tudo
sem mesmo olhar
para ninguém?

Já viu depois
que você passa
todo estrago
que você fez
e que deixou
lares desfeitos
filhos sem pais
mães sem os filhos
que desolação
e tanta dor
no coração?

Vento, ó vento
quando tiver raiva assim
procure um pouco
se acalmar
não dê vazão
aos nervos seus
pra não magoar
e nem machucar
os filhos de Deus
que na raiva
você esqueceu
que também são seus.
Alina Castelo Branco
(21/08/1976)


Nasci...

(637)


Nasci para ser alguém
ter uma vida gigante
nasci para escrever
coisas impressionantes.

Não dei valor nem atenção
não cultivei o meu dom
fui cuidar de outras coisas
esqueci o que era bom.

Hoje, poeta, tristonha
sentindo a vida na carne
vendo coisa bem medonha;

arrependo-me demais
de não ter sido poeta
há muitos anos, atrás!



Alina Castelo Branco 
(08/02/1977)

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Rafael

RAFAEL
(973)



Vendo Rafael
no seu carrinho;

olhos azuis 
irradiando força 
espalhando luz, 
o que vou dizer, 
o que vou fazer 
o que é que tenho 
para reclamar?
Criança é anjo 
cheio de amor 

que ajuda o adulto 
a aliviar a dor 
e quem tem anjo 
dentro do seu lar 
deve agradecer 
e saber rezar 
pois Jesus amou 
todas as crianças 
quando veio ao mundo 
e deu a elas 
um amor imenso 
grande e profundo!




Alina Castelo Branco
(01/02/1979)

(Dedicado ao meu neto Rafael)