terça-feira, 28 de julho de 2015

Mãe


(447)
Agradeço a Deus
por ter nascido;
por ter nascido mulher
e ter podido ser mãe.
Ser mãe é algo sublime
é embalar um pequenino
é dar a vida a outro ser.
Ser mãe é abrigar no peito
todo desejo, todo amor,
todo carinho, todo anseio
que tem pelos filhos seus.
Ser mãe é orar
a vida inteira
pedir proteção a Deus
pelo seu lar e seus filhos
é renuncia de viver.
II
Vale a pena ser mãe
ver seus filhos estudando,
trabalhando,
ver seu esforço reconhecido
ver os seus filhos crescidos
ver seus deveres cumprido
ver que foi uma mãe cristã.
Alina Castelo Branco
(31/05/1976)

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Segundo Domingo de Maio




(1000)
Hoje é seu dia!
Dia arranjado
premeditado
pois mesmo aqueles
que são tão maus
sempre aparecem
nesse domingo
que foi marcado
para festejar
tão grande dia;
pra você ter
belos presentes
e o carinho
dos filhos seus;
para o comércio
ganhar dinheiro
em cima disso,
de um amor
tão verdadeiro!

Estou aqui para dizer
a quem é mãe:
“Todos os dias do mês,
do ano, que se arrastam
longos, enfadonhos de luta,
de dor, de sacrifício
até os dias
de alegria
e felicidade
que são tão poucos
nessa jornada;
todos os dias
são sempre seus
pois você vive
intensamente,
cada minuto
cada presente.
Dia das mães!
Que ironia!
Pra ganhar flores
pra ganhar beijos,
ganhar carinho
muitos abraços
e muitos presentes.

Todas as mães
do mundo inteiro
deviam ter
de todos os filhos
mais recompensa
mais alegria
mais gratidão
no dia a dia....
Alina Castelo Branco 
(08/05/1979)

Hora Especial


(999)
Existe hora especial
pra Deus no céu
abri os braços
pra receber
todas as mães
que vivem, sofrem
choram, lamentam
o peso eterno
do sofrimento?

Devia haver, sim
festa no céu
com muita luz
muita alegria
pra toda a mãe
que deixa a terra
em qualquer hora
em qualquer dia.
Alina Castelo Branco 
(08/05/1979)

Será?


(1002)
Será que a planta
sente saudade
sofre de angústia
morre de dor?
Tenho certeza que
como o homem
ela também
tem suas crises
crises de horror,
porque em casa
tenho uma planta
frágil, mimosa
e quando estive
 ausente,uns meses
fora de casa
o dia inteiro
para trabalhar
e mal cuidava
dessa plantinha
nem tinha tempo
pra descansar,
de tão verdinha
perdeu a cor
perdeu as folhas
quase morreu
de tanta dor!
Alina Castelo Branco
(08/05/1979)

domingo, 26 de julho de 2015

Viva no Céu


(863)
Ora! Viva o céu
com o sol vibrante;
com suas nuvens
todas, tão brancas!
Essa claridade
mais e mais brilhante
é como a alegria
que invade a todos
depois das lágrimas
e dos dissabores.
Quanta chuva!
Quanta frieza!
Quantos dias tristes
e noites sem estrelas!
Quem consegue amá-las
sem nem poder vê-las?
A chuva passou,
como tudo passa
e o sol chegou;
com ele, a luz,
vida, movimento
pois a minha alma
quando muito fria
precisa do sol
e do seu calor;
precisa de Cristo
e do seu amor!
Alina Castelo Branco 
(05/09/1977)

sábado, 25 de julho de 2015

O que Faço?


(868)
O eu faço?...
Por que traço
o meu destino
sempre, sempre
atordoado?
Quero paz,
vejo tumulto;
quero risos,
vejo lágrimas;
quero o bem
ganho o mal;
amo o mundo
e as criaturas
mesmo as más,
cruéis, impuras;
nem espero o pedido
do perdão pra perdoar,
mesmo assim nada sai
como venho a desejar.
Está errado!
Tudo errado
no que penso
no que faço
no que traço....
Alina Castelo Branco
(05/10/1977)

Pobre, Bem Pobre


(869)
Vivia o pobre
antigamente,
contando tostão;
mudou a moeda
para cruzeiro, para cruzado
mas cresce, aumenta
alastra a pobreza
no mundo inteiro
e o pobre, sofre
ontem, agora,
pra ele a vida
nunca melhora;
talvez um dia
lá no além
ele esqueça o mal
e receba o bem;
passe a gozar
de mais regalia
tenha mais paz
e a mais alegria.
Alina Castelo Branco
(08/10/1977)

Filho, É bom


(870)
O filho é seu,
a filha é sua
prepare o espírito
pois a luta é dura.
Filho é bom
mas dá trabalho;
filho é amor,
trabalho dobrado;
se é pequeno
vale por dez
e quando cresce
e se liberta
de todas as coisas,
não olha nada
que vai deixando;
não observa
o que vai fazendo
nem os sofrimentos
que vai causando,
mas mesmo assim
filho, é bom,
é um consolo
é uma dádiva
para o coração,
de cada pai
e de cada mãe
que vê no filho
ou na filha
a sua própria
realização.
Alina Castelo Branco 
(08/10/1977)

Nevoeiro


(877)
Num céu nublado
nada se vê:
é tudo cinza...
é um nevoeiro
quase dividindo
e separando
o céu de Cristo
do mundo inteiro;
e a distância
já é tão grande
e aumenta mais
quanto maior
é o nevoeiro
e quanto maior
é a maldade
no mundo inteiro.
Alina Castelo Branco
(19/10/1977)

domingo, 19 de julho de 2015

Lá Vem Ela!...


(443)
Corre gente
lá vem vindo
lá vem ela
a tempestade;
como vem soprando 
e derrubando 
tudo no chão; 
corre gente 
lá vem ela 
vem esmagar 
nosso coração. 
Alina Castelo Branco
(18/10/1976)


Moleza


(437)
Com toda a moleza
que sinto no corpo
de uma gripe tenaz
que me pegou
bem desprevenida
uma gripe cruel
e descabida
que só me chega
quando não quero;
com tudo isso
com o desânimo
que nesse momento
me enche a vida
anda tenho
dentro de mim
muita alegria.
Alina Castelo Branco
(08/10/1976)

Na Igreja


(436)
Estou na igreja
na sala de aula
é reconfortante
enche-me de calma
a assim minha alma
torna-se leve
pois é na igreja
entre os altares
e velas acesas;
entre orações
e recolhimento
que reconsidero
o meu pensamento.
Alina Castelo Branco
(08/10/1976)

Fazer o Bem


(432)
Se nesse momento
alguém me perguntasse
se eu sou feliz
diria que não
pois longe, bem longe
alguém está sofrendo
está sendo punido
por erros passados
e reconhecidos;
mas mesmo assim
não me sinto bem
não gosto de ser
o pivô principal
que venha trazer
o sofrimento a alguém
pois só vim ao mundo
pra fazer o bem.
Alina Castelo Branco
(07/10/1976)

sábado, 11 de julho de 2015

Férias


(304)
Estar de
férias é muito bom:
não ter horários
para respeitar
não ter muito
o que fazer
e também correr
sem preocupação;
estar de férias
é muito bom!
Alina Castelo Branco
(13/01/1977)

Zero Horas


(294)
Zero hora
fim de um ano:
um se foi
outro chegou;
zero hora
o relógio soou;
tenho certeza
que houve alegria
em muitos lares
mas em outros
gente chorou;
zero hora
um dia novo
no ano
dia tranquilo
dia de paz
dia de amor
dia de saudade
pois nunca é perfeita
a felicidade.
Alina Castelo Branco
(01/01/1977)

Aviadores


(291)
Os que sempre voam
é que bem sabem
como somos
bem pequeninos
diante do mundo
diante de Deus
diante da terra
que é imensa
e gigantesca
diante das flores
com seus coloridos
estonteantes
e maravilhosos;
diante do mar
que tem uma força
descomunal
e cobre a terra
deixando apenas
pequena parte
para se viver
para se aprender
para regressar
e se apresentar
diante do céu
e das estrelas
diante das belezas
incontestáveis
da natureza!
Alina Castelo Branco 
(28/12/1976)

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Agradecimento


(137)
Obrigada, Senhor
por ter nascido
e ter tido a grande chance
de observar os seus milagres.
Sim, milagres existem,
é só ter fé,
é ser honesto,
é ser bondoso,
não ser cruel.
E no seu mundo, Senhor
onde sua luz resplandece
para haver milagres
tem que haver muitas
e muitas preces.
Alina Castelo Branco 
(09/07/2002 às 17:00 horas)

Morro


(279)
Da minha varanda
lá pelas tantas
vejo luzinhas
longe, distante
iluminando
o morro imenso
que nos convida
e nos incentiva
a vê-lo de perto
mas como é longe
ó Deus, espero
como é distante
aquele morro
que vejo sempre
da minha varanda
e que me parece
está tão perto!...
Alina Castelo Branco
(26/12/1976)

Minha Caçula


(276)

Quando amanheço inspirada
coitada da minha filha
fica condicionada
a ler minhas poesias
e ela tão paciente
fica a me incentivar
lendo e relendo contente
e sempre a me admirar.

É justo fazer com ela
isso sempre, toda hora
cada vez que faço um verso
ontem, hoje e agora?
Ela já é minha filha
vive no meu coração
não vou exigir dela
tamanha admiração!

Alina Castelo Branco 
(19/12/1976)

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Final dos Tempos


(902)
Lágrimas rolarão
da face dos maus
no dia do juízo
no prazo final.
Pra muitos, alegrias,
glórias, honrarias
paz, felicidade;
no entanto pra outros
gritos, histerias
choro, agonias
essa é a verdade.
Tudo está escrito
que acontecerá
quando Cristo Rei
em seu esplendor
descer sobre a terra
e separar a dor.
Para um lado, eu;
pra outro, você
e assim, por diante;
crendo em Jesus
vão só com Ele
todos aqueles
que souberam andar
com a sua cruz.
Alina Castelo Branco
(28/11/1978)

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Passe por cima


(858)
Passe por cima
de tudo aquilo
que lhe aborrece
e lhe anula
passe por cima
voe bem alto
e veja a terra
solta no espaço;
girando sempre
sem nunca parar.
Veja o homem
tão pequenino,
um ser um minúsculo
e tão mesquinho
procure então
evoluir e melhorar.
Alina Castelo Branco
(08/08/1977)

No Caixão


(856)
Do início do mundo
tem sido assim:
sempre rebeldias,
sofrimentos enfim.
-Procurou mudar
o homem, então?
-Não! Continua o mesmo
teimoso, arrogante;
ambicioso, imbecil
e impetuoso
com mil defeitos
tentando cavar
com suas mãos
a própria sepultura
no centro do chão.
É quando o homem
dentro do caixão
passa a ter vida
e ser gente, então!
Com a imortalidade
da nossa alma
tudo é mais verdade
tudo é mais calma.
Alina Castelo Branco 
(30/06/1977)