terça-feira, 23 de junho de 2015

Jogo Duplo


(993)
De um lado ajuda;
de outro, poder, domínio,
sadismo, tirania, querer.
E assim as criaturas se fingem
de boas pra melhor viver.
E escalar a montanha dos seus
sonhos vãos desejos, revoltas,
traumas e desilusões.
Esse é o jogo duplo
que muita gente faz
usando as pessoas fracas e boas
que vivem no mundo sem ter paz.
Alina Castelo Branco 
(10/04/1979)

segunda-feira, 22 de junho de 2015

"Não pensem mal"


(1004)
Quem me vê falar
de dor, tristeza
lágrima e sofrimento
há de pensar
que sou infeliz
que nem mesmo tenho
dias de alegria
e desprendimento
mas não é isso, não;
posso garantir
que eu sou feliz
como todo mundo
hoje sorrindo
amanhã chorando;
ontem, amando
hoje, solidão;
ontem jovem
hoje, já madura
mas sem dor
e nem amargura
porque a vida é isso
guerra, paz, amor,
alegria, calma
sofrimento, dor;
lagrimas jorrando
na face, na alma
enquanto lá fora
o mundo caminha
lento, desigual
jogando fumaça
pelo arraial
poluindo o solo
o ar, os pulmões
dos que tem amores
e até solidão
e nesse rodízio
nesse gira-gira
espetacular
eu vou consumindo
de tudo um pouco
pra me alimentar
e suster a vida
até o final;
como bom cristão
vivo esperando
meu dia chegar
largar tudo isso
ódio e amor
alegria e dor
inferno e paraíso.
Alina Castelo Branco
(08/05/1979)

Hora Certa


(1007)
Tudo tem sua hora certa,
queira ou não acreditar;
pra falar, para escrever
pra sorrir, para chorar.

Tudo tem sua hora certa
acredite quem quiser
temos todos uma reta
debaixo de nossos pés.

Tudo tem sua hora certa,
é o que penso, minha ideia
não sei bem se está correta.

O importante já foi dito
no destino de cada vida
tudo, tudo, está escrito.
Alina Castelo Branco 
(10/05/1979)


domingo, 21 de junho de 2015

Amor Novo


(983)
Amor novo
tudo bem, tudo bem...
Esperanças...ilusões...
Novas chances no caminho
rosas flores e espinhos!
Cada espinho
que se tira
desse amor
que nos aflige
morre lento e esfria...
por que amor é assim:
rosa com espinho
amor sem fim...
Alina Castelo Branco 
(27/12/1978)

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Bálsamo do Amor


(794)
O tempo passa
e como passa...
Acalma as dores,
acalma as dúvidas.
É engraçado, não é?
Eu diria que ele
é o grande curador
de todos os males
que ronda a terra
e sabe por que?

Sofrimentos chegam,
sofrimentos vão
sabe Deus pra onde
se é pro lado ruim
ou lado bom
a verdade é que
o coração alivia
e logo a seguir
vem a vontade de viver
de subir montanha
e de lá de cima
poder agradecer
e falar mais alto
gritando, berrando:
“Obrigada Deus!...

Só você poderia
e só você pode
lavar as almas
dos seres humanos
jogando o seu bálsamo
milagroso e santo
bálsamo, tranqüilizador
tirando das almas
todas as dores físicas
e espirituais
e purificando o ar
com seu amor.
Alina Castelo Branco
(27/04/2004)

Onde está o Poeta?


(791)
Onde está o poeta
que um dia eu conheci
e fiquei até feliz
de ter um chefe espiritual
que usa a alma e a mente
para nos ajudar
através dos seus versos
para atingir a todos
do mais alto ao mais simples
e acredite mesmo
no que vou lhe dizer
com a pureza da minh!alma,
tenho certeza que todos
tão sentindo muita falta
dos seus versos
que falam de Deus,
do espírito e da alma,
pois nem sempre
temos a grande sorte
de ter um chefe
que faça poesias
tão belas e tão altas.
Pense nisso chefe amigo
volte logo a colocar
no mural ou no jornal
suas belas poesias.
Alina Castelo Branco
(02/09/2004-16 horas)

Acordei Bem!

ACORDEI BEM!
(790)
Dormi muito
acordei bem;
senti o corpo revigorado
bem disposto
bem animado
já é um passo
pra iniciar
um novo dia
em que preciso
de muita energia
para resolver
todos os meus problemas.
Se não estamos
com o espírito calmo
forte, descansado
e sempre bem disposto
não sabemos suportar
qualquer desgosto.
Alina Castelo Branco 
(22/08/1976)

Quero Pouco


(779)
Não quero muito da vida
apenas saúde e paz
e que as minhas mensagens
cheguem até às criaturas
que sofrem muito demais
se com as minhas palavras
eu conseguir aliviar
a dor e o sofrimento
do meu irmão infeliz
ficarei mais tranqüila
e sentir-me-ei bem feliz!
Alina Castelo Branco
(20/08/1976)

Como sou fraca!


(775)
Uma dorzinha
dois ou três dias
devido a um dente
foi para mim
o fim do mundo;
parecia até
que eu sucumbia
levando às costas
um fardo duro
que me anulava
tirando as forças
e eu relutava
pra recuperar
e vencer as dores
que não eram muitas
mas incomodava
e ainda arrebentava
com o meu coração
sem falar também
na preocupação.

O Jesus, Jesus
como sou fraca
e não tenho luz
pois uma dorzinha
boba, à toa
que qualquer pessoa
agüentaria
eu no entanto
já entrego aos pontos
fico a reclamar
e me lamentando;
quando bem melhor
sem sentir mais dor
fico a imaginar
o seu sofrimento
e como você
foi herói, valente
suportou calado
toda provação
e dores horríveis
quase impossíveis
para um ser humano
vir a suportar
você, assim mesmo
foi até o fim
pois já era Deus
e a distância é grande
dos problemas meus!

Está explicado
a minha fraqueza
diante da dor
pois infelizmente
sou apenas humana
sou apenas, gente
não sou como vós
não tenho poder
e nem o seu valor
para resistir
e vencer a dor.
Alina Castelo Branco 
(19/08/1976)

Eu Pensava


(773)
Quando criança, imaginava
que o mar gigante
não tinha fim
pois eu ficava
horas e horas
na sua praia
a olhar além
e tentando sempre adivinhar
onde começaria
e terminaria aquele mar
que da praia, longe,
onde eu estava
bem sentadinha
sempre admirava
aquela extensão
impenetrável
daquelas águas,
minha impressão era
que na profundeza
bem lá no fundo
não tinha terra
nem tinha chão
era só água
e nada mais;
só muito depois
anos atrás
vim descobrir
que existem coisas
muito bonitas a estudar
e a observar
bem lá no fundo
forte e firme
do meu eterno
e querido mar.
Alina Castelo Branco 
(19/08/1976)

Para você, Jovem!


(771)

Para os jovens
que hoje, sofrem
pelos erros loucos
de seus pais 
não armazenarem 
grandes rancores 
desliguem-se 
logo, logo 
dos seus traumas 
e procurem esquecer 
as suas dores 
e quanto aos pais 
que fazem vocês 
sofrerem muito 
procure relevar 
e não odiá-los 
por não saberem viver 
e olhem que eu também 
já fui filha 
e hoje sou mãe 
posso garantir-lhes 
que pra ser pais perfeitos 
é difícil conseguir-se 
é uma tarefa espinhosa 
complexa e duvidosa 
porque é como uma rosa 
completa, com seus espinhos 
espinhos que a própria vida 
só nos chegam sem querer 
mas que temos que ser fortes 
pra saber nos defender. 
Como não há na terra 
uma total perfeição 
raciocinem com a mente 
e amem com o coração; 
seus pais que vivem 
às vezes, sempre a errar 
achando que estão corretos 
tentando sempre acertar 
pensando que fazem o melhor 
quando só dão o pior 
para eles mais compaixão 
mais amor e mais perdão! 
Alina Castelo Branco 
(15/08/1976)

Criança Indefesa


(768)
Vi uma criança
dentro do carrinho
parece um anjo
de olhos azuis
desses pintados
que permanecem ao lado
do nosso bom Jesus
e feliz, tranqüila
sem aperceber-se
vai criança
sem nem notar
todas as coisas
que estão ao seu redor
que ela ainda
não pode enxergar.

E pensei comigo
olhando para ela,
anjo de candura
vendo o rosto lindo
e sua alma pura
o que será que a mãe
jovem, muito bela
e inexperiente
vai fazer daquela
que Deus deu pra ela.

Tanta criança linda
nasce nesse mundo
talvez com um destino
alto e profundo
mas se a mãe não tem
boa abertura e larga visão
em vez de ajudar
essa criatura
a concretizar
os seus anseios e ideais
essa mãe, talvez
vai atrapalhar
o filho crescer e progredir
vai barrar
a estrada que ele
deverá seguir.

Hoje, quando vejo
um bebê dormindo
sendo empurrado
com muito carinho
fico a meditar e perguntar:
“O que vai dentro dele
e daquela mãe?”
O que sente ele
ao olhar o mundo
e fico pensando
que destino terá
aquela criança
e o que fará dela
aquela mulher
que tem nas mãos
uma vida a mais
para instruir
para educar
para construir
para ajudar
para orientar
e também amar?...
Alina Castelo Branco
(13/08/1976)

terça-feira, 2 de junho de 2015

À Toa


(431)
Hoje estou chorando
por que?
Estou feliz
tudo está bem
não me falta nada
materialmente.
Por que estou chorando
se não estou com fome
se não tenho sede
se não estou nua
se nesse mundo
tão cheio de gente
e tanta gente boa
por que motivo
estou chorando à toa?
Alina Castelo Branco 
(07/10/1976)

Batalhando


(422)
Batalho muito
no amor, na fé
na caridade
e na esperança;
o que espera
a criatura humana
que não tem isso
nem por um dia
nem uma semana
como ela espera
vencer na vida
os obstáculos
do dia a dia
se não tem fé
e nem alegria?...
Alina Castelo Branco 
(02/10/1976)

Congresso


(413)
Tudo na Legião
é diferente;
por que Maria
que suas filhas
são desanimadas
e sem alegria?
Trabalhar com amor
para Maria
devia ser a chave
de todo entusiasmo
e de muita alegria
pois temos tudo
pra botar pra frente
a nossa Legião
um grupo notável
às vezes triste
desanimado
mas dentro da alma
cada legionária
traz uma chama
a chama eterna
da caridade
que dar o bem
a quem não tem
felicidade.

Alina Castelo Branco 
(27/09/1976)

Lá no Méier


(411)
Um dia no Méier
com as catequistas
todos reunidos
muito divertido
muita gente boa
muita gente nova
muita gente alegre
muita animação
pensando em Jesus
falando dele
olhando o mundo
com o coração.

Foi muito boa
a reunião
lucrou-se muito
pois um dia a mais
bem diferente
só nos faz bem
e nos deixa contente
e naquele grupo
tão grande
e homogêneo
onde o ideal
era um só
louvar a Deus
sobre todas as coisas
valeu a pena
sair de casa
dá uma largada
pra sentir a vida
dentro da união
pra com aquela gente
apertar a mão.
Alina Castelo Branco 
(27/09/1976)

Um Passeio


(398)
Um dia saí
para ver o Cristo
o grande, enorme
Cristo Redentor,
que fica em cima
de um morro imenso
que olhando de baixo
dá medo na gente;
é de difícil acesso
pois para irmos
até o alto
e vê-lo de perto
temos um bondinho
muito agradável
e a subida lenta
vai me deixando
mais esperançosa;
é uma sensação
das mais saborosas;
aquele ventinho
no meu rosto batendo
e aquela paisagem
que eu ia vendo
cada vez mais
próxima da meta
da nossa chegada
me proporcionava
um belo passeio
justiça seja feita
uma grande obra
para ser admirada
pelo mundo inteiro
e aquele Cristo
nosso Redentor
estava bem ali
de braços abertos
em cima da serra
pra nos receber
e nos dar amor
a todos da terra.
Alina Castelo Branco
(17/09/1976)