sábado, 11 de abril de 2015

Novo Dia (2)


(881)
Sol nascendo
luz chegando
dia novo
amanhecendo;
vida nova
esperança
tudo em volta
vai crescendo;
dia novo
quando vem
traz de tudo
gera o bem
não somente
ao ser humano
mas também
a tudo na vida
que nasce
que cresce
que palpita.
Sol nascendo;
dia novo
amanhecendo
clareando...
Alina Castelo Branco 
(15/11/1977)

Sorria Sempre


(895)
Sorria sempre
mesmo na tristeza
mesmo que a dor
lhe arrebente a alma.
Sorria sempre
mesmo que não queira
mesmo que sua vida
esteja se ultimando
mesmo assim sofrendo
mesmo assim chorando
sorria sempre
mesmo que você
esteja se acabando!
Alina Castelo Branco 
(10/06/1978)

Transparecer


(900)
Se na minha face
transparece a dor
a tristeza, a mágoa
e a solidão
por Deus acredite,
é contra a vontade
que essa dor se acha
no meu coração,
pois nossas tristezas
nossas dores, mágoas
nossa solidão
devem andar conosco
muito bem guardadas,
pra que não afluam
e não transpareçam
sem que a gente queira
na nossa face.
Alina Castelo Branco 
(13/12/1978)

O que eu quero mais


(907)
Ó Deus protege o meu lar
esse lar que é tão meu
onde dedico meus dias
onde vivo horas tristes
onde tenho bons momentos
onde lágrimas derramo
onde tanto construí
onde tanto, tanto amo.

Ó Deus protege os meus filhos
que são um pedaço meu
que tem o mesmo, meu sangue
e que tanto já sofreram,
pois o destino pra eles
que parecia tão bom
ficou cruel de repente
e agiu sem coração.

Vendo meus filhos felizes
o que eu quero da vida?
Nada mais vou implorar
durante o meu viver
tenho tudo até demais
vou viver feliz, tranquila
esquecer todo o sofrer
que passou, ficou pra trás.
Alina Castelo Branco 
(06/02/1977)

Fazer o bem(2)


(904)
Fazer o bem
a quem quer que seja
só nos ajuda
a que Deus nos proteja;
fazer o bem
sem interesse
só para ajudar
a afastar o mal
de quem quer que seja
só nos eleva
só nos acresce
a que Deus nos proteja;
fazer bem
aos nossos amigos
não é tão valioso
como perdoar
e também ajudar
nossos inimigos
pois, por incrível
que até pareça
devemos amparar
a quem quer que seja.
E Deus, envolvido
nessa atmosfera
de amor e paz
entre bons irmãos
só nos protege
só nos da alegria
só nos traz graças
para as nossas mãos.
Alina Castelo Branco 
(04/11/1979)

Crença


(901)
Em todas as crenças
há vacilação
há falta de fé
há desunião.
Em todas as crenças
Cristo está presente
e por que razão
pelo mundo à fora
há tantos descrentes?
Em todas as crenças
pregas-se o amor
e a ajuda mútua
que é o único meio
de chegar a Cristo
nosso Salvador
mesmo assim o povo
massa em rebeldia
já não tem mais fé
já não tem amor
e nem alegria...
Alina Castelo Branco
(27/08/1978)

Gente Pobre


(903)
Gente pobre
tem o quê?
Muita fé
muita bossa
e topete pra viver.
Gente pobre
anda a pé
não tem luxo
nem ambição;
essa gente
boa, humana
que entende
o outro irmão
é que vai
ver Deus um dia
e no além
com alegria
vai ter paz
vai ter sossego
pois na terra
já padeceu
mas sofrendo
se humanizou
e a Deus
soube entender.
Gente pobre
pé no chão
sabe crer
tem coração!
Alina Castelo Branco
(05/11/1979)

Lágrima


(909)
Acho mesmo que estou
ficando velha
pois às vezes choro à toa
choro, sempre se estou triste,
choro, sempre, se estou alegre;
choro, sempre, por ver os outros felizes
choro, quando eles sofrem 
e se desesperam;
a verdade é que a lágrima
é a minha companheira
na tristeza e na alegria
pela minha vida inteira.
Alina Castelo Branco
(08/02/1977)

Repouso


(910)
Quando me deito pra descansar
das minhas horas de trabalho
acho isso espetacular
poder ainda bem repousar
pois hoje em dia
vive-se correndo
tão agitados
tão rabugentos
numa agitação brutal,
tremenda
que sinto alegria
ao me deitar
sentir um pouco
alguns minutos
lentos, passar;
parece incrível
a sensação
de repousar
entregue à calma
e aos pensamentos
no meio de tantas
tantas confusões
que encontramos
a todos os momentos.
Perdida e imersa
na minha solidão
de pás e sossego
de silêncio
de repouso
sem tumulto
nem agitação
isso me traz
muita paz
para o meu coração.
Alina Castelo Branco
(08/02/1977)

Tristemente


(912)
Minha vida massacrada
pela irresponsabilidade
de um homem sem caráter
que não cumpriu o seu dever
perante a sociedade
perante a lei de Deus;
um homem meio atrasado
de espírito e de mente
que só conhece na vida
o dinheiro, certamente;
é desse homem,
tristemente,
que eu dependo
infelizmente!...
Alina Castelo Branco 
(16/02/1977)

terça-feira, 7 de abril de 2015

Valor


(925)
Uma pedra
uma rua

uma criança
tão pura;
uma alma,
um riacho
roupa fervendo
no tacho;
uma casa
um coqueiro
gente vibrando
no mundo inteiro;
o luar
o calor
um amigo
uma flor;
uma jangada
entrando no mar
e as criaturas
sempre a mar;
a saudade
um vazio
um capricho
um desafio;
um olhar
de felicidade
a companheirismo
a lealdade;
uma lágrima
uma dor
tudo na vida
tem seu valor!...
Alina Castelo Branco 
(07/03/1977)

Seu Olhar


(927)
Se eu para viver
dependesse dessa luz;
preferiria morrer
deixar a minha cruz
e assim mesmo sem luz
na escuridão, penetrar;
seu olhar
maldito olhar
só me constrange
e me faz mal
lembra coisas do passado
que me ferem
e me maltratam
que matam
aos poucos
aos bocadinhos
e destroem
tudo, tudinho;
seu olhar é um punhal
cortando
rasgando a carne
ferindo e dilacerando
com frieza
e muita calma
como é
como será
a podridão
da sua alma.
Alina Castelo Branco
(07/03/1977)

Sorrindo


(928)
Estou a sorrir
hoje, estou bem
mesmo sem amor
sem ter um bem;
acho até graça
quando me perguntam
se eu vivo só
sorrio sempre
sinto uma pena
de fazer dó;
pois para mim
com tanta gente
a me rodear
e dentro do meu teto
que me abriga
com os meus filhos
a conversar;
vendo um mundo
forte e imenso
tumultuado
e ao mesmo tempo
inconseqüente
gente correndo
gente andando
gente sofrendo
gente chorando
não poderia
viver sozinha
pois acompanho,
diariamente, toda essa gente
com minha alma
e minha gente.
II
E todo aquele
que se sentir
abandonado
em vez de triste
e amargurado
ponha-se em campo
ajude os outros
e sentir-se-á
aliviado
pois solidão
é a inércia
é o comodismo
é o egoísmo
é a inutilidade;
pule pra fora
da sua casa
vá praticar
a caridade;
junto com os outros
entrelaçando
alegria e dores
eliminando
toda solidão
e dissabores;
se Cristo vive
em cada um
estando com todos
estamos com Ele
não tenho razão?
Por que lamentar,
por que não lutar
contra a solidão?...
Alina Castelo Branco
(08/03/1977)

O que não veio...


(939)
Aquele filho querido
que não veio
e que deveria ter vindo
provoca, quando me lembro
uma saudade infinda
pois eu já gostava dele
mesmo até sem conhecê-lo
e já imaginava
com as sua traquinagens
e todos os seus trejeitos;
devia é ter sido lindo
pois ia ser o primeiro
ia ser mais um de Deus
a vagar por este mundo
a caminhar pela trilha
do que é certo e profundo;
não sei porque desistiu
desistiu de ser meu filho
desistiu de me ajudar
desistiu de ser amigo
desistiu de me amar
e por que?
Só Deus sabe responder
pois só Ele sabe tudo
e conduz nosso viver.

Daquele filho querido
que não veio
mas deveria ter vindo
guardo sempre
bem guardado
um amor
um grande amor
infindo!...
Alina Castelo Branco
(23/03/1977)
(Dedicada ao meu primeiro filho)




sexta-feira, 3 de abril de 2015

Páscoa


(944)
Hoje, estamos tristes
estamos na quaresma
com pena de Cristo
dos seus sofrimentos
lembrando o passado
e os seus momentos;
daqui a uns dias
é dia de festa
e sabemos porque:
Jesus tão querido
que por nós morreu
vai ser relembrado
com todas as honras;
e no dia da Páscoa
vamos comemorar
sua ressurreição;
quanta alegria
e amor redobrado;
quanta fé crescida
e esperança aumentada
e no dia da festa
da ressurreição
é dia de festa
pra todo cristão.
Que o mundo inteiro
se encha de paz;
estamos precisando
dela, até demais!...
Alina Castelo Branco
(01/04/1977)

Aventureira


(365)
Você que gosta
de se divertir
mudar de vida 
mudar de homem 
tê-los demais 
pra experimentar 
todas as emoções 
ditas, sexuais 
cuidado mesmo 
com o desvario 
que arrasta tudo 
quebra o respeito 
e a decência 
que existe sempre 
nas criaturas; 
tudo o que se faz 
em demasia 
com exagero 
sem controle enfim 
não dá em nada 
apenas choca 
decepciona e deprime 
cria torturas 
também um clima 
tão assustador 
pois esse tipo 
de vida errada 
não eleva 
não ensina 
não constrói nada 
e cada vez 
que você vive, 
exclusivamente, 
em função do sexo 
na sua mente 
há uma regressão 
e sem querer 
você vai descendo 
vai se afundando 
vai penetrando 
mais na escuridão. 

Sexo gente
é uma função
física e orgânica
que funciona 
para se ter mais valor 
junto ao coração 
com muito amor 
e não sendo assim 
é podridão 
é descer demais 
é cair no chão. 
Alina Castelo Branco
(02/09/1976) 

Cantinho das Rosas


(945)
Plumagens coloridas
de noite esvoaçando
lingeries lindíssimas
enfeitando as camas;
mulheres pintadas
espalhando amores
e nos seus devaneios
destruindo lares
e plantando dores;
e em cada noite
de sonhos e bebidas
exaustas, maltratadas
com as almas feridas
esmagadas, destruídas
pela vendagem dos corpos
pela hipocrisia da vida
essas mulheres sofridas
marcadas
dilaceradas
exploradas
dia após dia
vivem num lugar
com um nome
tão bonito
destruindo a moral
enlameando o amor
que é grande
e tão profundo
enganando a si mesmas
vivem à parte
essas mulheres
vivem apenas
no seu mundo.
Alina Castelo Branco 
(01/04/1977)