terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Cristo


(280)
Olho o Cristo
do Corcovado,
com as nuvens
tão envolvido
e escondido;
mas de repente
as nuvens passam
vão descobrindo
o Cristo todo
e vai ficando
iluminado;
vão se afastando
as nuvens medonhas
e vai aparecendo
a claridade;
Ver o Cristo
todo coberto
e apagado
não é bom;
gosto de vê-lo
resplandecente,
iluminado!...
Alina Castelo Branco 
(26/12/1976)

Fique o Amor


(269)
Fique o amor!...
Faltam poucos dias
para o ano findar;
é sempre assim
quando dezembro
chega afinal;
vai setenta e seis
leva para longe
nossa amargura
nossa lágrima
nossa angústia
nossa dor
e deixa conosco
só nosso amor
pois dele precisamos
para continuar lutando
e também vivendo
sempre eliminando
toda a nossa dor
e a nossa vida
sempre defendendo.

Se com o amor
nós não conseguimos
a felicidade
plena, nossa vida;
o amor nobre
que perdoa tudo
que ajuda
que entende
que releva
que nos faz madura;
qual o sentimento
que vence o mal
nesse mundo imenso?
Alina Castelo Branco 
(16/12/1976)

Ontem


(264)
Ontem não dormi
não tinha sono
estava aflita;
não sei mesmo
o que aconteceu
pra não dormir
e acordada
raciocinar
dar um balanço
e analisar
todo um passado
e o presente
tão complicados
que ferem a gente.

Se a nossa vida
dependesse
de nós, apenas;
fôssemos soltos
sem elo algum;
vivêssemos só
sem ninguém
sem amolação
sem tolhimento;
fôssemos donos
das nossas ações
e não dependêssemos
de nada na vida
de jeito nenhum
era mais fácil
realizarmos
com a liberdade
que em parte temos
todos os desejos
em todos os momentos.

Mas, qual!
Uma coisa
puxa outra
uma pessoa
traz mil pessoas
pois os tais elos
que ligam vidas
no universo
não se soltam
nem mesmo quando
os colocamos
para reinar
dentro dos versos
pois  quanto mais
observamos
todos os elos
só são partidos
quando as sepulturas
são enfeitadas
e a nossa luta
torna-se enorme
e bem maior
por que lutamos
e convivemos
muitas das vezes
com certa gente
que é bem pior!...
Alina Castelo Branco 
(08/12/1976)

O Mar


(936)
Põe-se o mar
longe, bem longe
a bravejar
e a sua fúria descarregar
nas suas ondas enfurecidas
admiradas e conhecidas.

Quando ele vem
perto da praia,
a sua bela namorada,
ele vem mansinho
devagarinho...
muito suave
vem se aproximando;
vem beijando
com muito carinho
e toda a areia
ele vem cobrindo.

Se você, cedo
bem cedinho
levantar-se e for correndo
pra junto ao mar
antes da aurora
vir a raiar
você vai ver
um espetáculo
maravilhoso
que é o mar
vindo tranquilo
e tão gostoso acariciar
a praia limpa e deserta
aproveitando para beijar
a areia e toda a terra.
Alina Castelo Branco 
(25/07/1976)

Sem Coração


(702)
Serás que ele sofre também
por ter o rumo da sua vida
mudado tanto, tanto
e porque mantém
sempre a distância
os entes queridos
da sua família
e tudo na vida
que ele quis bem?

Não quero julgar
nem devo fazê-lo
mas cá pra nós
tenho que crer
que Deus ao formar
todas as criaturas
delas exigiu toda perfeição
entretanto penso
que pra muita gente
Ele se esqueceu
de dar um coração.
Alina Castelo Branco
(30/07/1976)

Bela


(394)
O que a vida
fez de você
e por que, querida,
você deixou,
não reagiu
e não lutou?...

A vida é dura
é uma escola
onde se vem
para aprender
e pra lutar
com unha e dente
e evitar
todo sofrimento.

Você querida
se entregou
e nem de Deus
você lembrou
e misturou
tudo, tudinho
e as suas chances
que eram enormes
grandes, vibrantes
você em vez
de sustentar
e por elas
sempre lutar
não, não
irmã querida
você então
desesperou
na sua fé
você vacilou,
tudo baralhou,
baralhou até
a sua vida
e por fim até
ficou perdida.

O pior de tudo
é que só temos
uma vida
temos que lutar
por ela sempre
minha querida!

Os seus sofrimentos
e as suas dores
um dia se transformarão
em lindas flores!...
Alina Castelo Branco
(14/09/1976) 

(Dedicado a sua irmã Bela)

Você...



(383)
Quando o vi
pela primeira vez
despreocupado, contente
naquele baile
de carnaval,
só em olhar
e depois dançar
algo me dizia
que você um dia
seria meu, afinal!
Alina Castelo Branco 
(14/09/1976)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Sem Trevas


(428)
Existe momentos meus
de muita alegria;
de vez em quando
uma luz irradia
surgindo imensa
ninguém sabe de onde
e vai aparecendo
enorme, gigante.

Porque não aproveitar
essa claridade
que vem iluminando
surgindo das trevas
e as trevas acabando
e com felicidade
formando um manto
de luz irradiante?

Clarão majestoso
partindo do nada
clareando uma parte
da minha vida
e da humanidade
porque está certo
e com muita lógica:
se sou beneficiada
por alguma bondade
é que essa luz
que me clareou
foi transmitida
por algum ser
que de mim, lembrou.
Alina Castelo Branco
(05/10/1976)

Pode Sim!


(427)
Alguém muito ruim
pode melhorar
desde que haja Deus
dentro a palpitar
porque o Cristo
que vive em cada um
fica esperando
que algo maravilhoso
venha a acontecer
para Ele poder aparecer.

Como o Cristo em nós
é tão paciente
fica anos e anos
bem escondidinho
dentro da gente
só a nos chamar
até que um dia
possamos ouvi-lo
e responder com amor
dando um grande sim
a Nosso Senhor.
Alina Castelo Branco
(05/10/1976)

Amo!...



(418)
Amo a Deus, 
acima de tudo
amo a natureza
amo o que é bom
amo o que é puro
amo as crianças
e toda a humanidade
talvez seja por isso
que apesar de tudo
tenho dentro de mim
tanta felicidade!
Alina Castelo Branco 
(01/10/1976)

Rede a Balançar

(416)
Longe, bem longe
entre o capinzal
uma casinha
com uma varanda
a rodear
toda branquinha
com muitas redes
a balançar
e a quietude
o ar tão puro
a envolver-me
dando a sensação
de tranquilidade
e bem-estar.

Uma casinha branca
bem pequenina
nos dias de folga
para repousar
 eu na rede
a balançar
olhando o céu
azul, sereno
vendo o mar
grande em frente
batendo as ondas
na areia quente;
daria tudo
para isolar-me
de vez em quando
e muito longe
numa casinha
toda branquinha
bem pequenina
poder deitar
e numa rede
bem balançar
minhas poesias
poder escrever
e imaginar.

Nem quero ver
e nem pensar
o que poderia
em versos cantar
estando em paz
comigo mesma
e com a natureza
toda envolvida
pela quietude
e sua beleza...
Alina Castelo Branco

(30/09/1976)

O Dia a Dia


(404)
O dia a dia
é inconcebível
há um desgaste
enorme e imenso
e como é impossível
o ser humano
sobreviver e vencer
os obstáculos
que aparecem
diariamente
se é tão fraco
fisicamente
mentalmente
e espiritualmente?

Se o homem
no dia a dia
no seu trabalho
na sua lida
nas coisas bobas
materiais
que apesar de tudo
não deixam nunca
de ter valor
não se lembra
da sua alma
de fortalecer
o seu espírito
vai ter na vida
muita dor
pois se tirarmos
alguns minutos
de meditação
de silêncio
de oração
isso ajudar-nos-á
e nos elevará
dando mais força
ao coração.
Alina Castelo Branco
(22/11/1976)

Sucesso


(403)
Um passo a frente
um passo a mais
bem para frente
é o que eu senti
que hoje dei
com toda certeza
eu vencerei.

Se já venci
ainda não sei
mas acredito
que se continuar
nessa pista
com esse andar,
evidentemente
todo sucesso
irei ganhar.
Alina Castelo Branco 
(21/09/1976)

Tão Bem!



(402)
O dia hoje
foi maravilhoso
foi tão gostoso
tudo correu bem;
nada deu errado
para atrapalhar
todo o combinado
e vez por outra
isso acontece
só nos ajuda
nos traz prazer
e nos enobrece.
Alina Castelo Branco 
(21/09/1976)

É Pecado?


(400)
Quando era jovem
bem jovem ainda
gostava muito
de namorar.
Isso é pecado?
Pode dizer que
então vivi
muito a pecar
pois o namoro
limpo e correto
belo, bonito
decente, digno
é um intercâmbio
maravilhoso
entre dois jovens
do sexo oposto
pois é uma troca
de alegria
de palavras bonitas
no dia a dia
é uma troca
de felicidade
colorindo assim
a realidade.

Um bom papo
um bom passeio
feito com alguém
que o coração anseia
e de braços dados
os dois pombinhos
muito felizes
esquecem o mundo
tão agitado
e tão medonho
e o medo é tanto
que os dois se isolam
e formam em volta
dos dois apenas
uma outra terra
só, só deles
um mundo novo
evidentemente,
onde só cabe
somente os dois
logicamente;
ninguém me diga
que isso é pecar:
isso é viver
isso é sorrir
isso é amar!
Alina Castelo Branco
(17/09/1976)

28 de Outubro!


(225)
Ó Deus, nem me lembro

do dia lindo
que me casei
há muitos anos
no dia de hoje
o dia bonito
de São Judas Tadeu
dia que escolhi
pra formar um lar
e nele construí
com muito amor
o meu ninho de paz
esse lar existe
meio incompleto
procuro-o manter
de forma correta
e a minha missão
de educar os filhos
e cumprir à risca
minha obrigação
creia Deus, por eles
vou continuando
meu longo caminho
aceitando alegre
todo o meu destino
e no dia festivo
de São Judas Tadeu
dia em que relembro
o casamento meu
com muita fé
e muita devoção
entrego a São Judas
o meu coração.

Valeu ter escolhido
para me casar
um dia tão querido
e vou sempre adorar
São Judas Tadeu
que é tão milagroso
e espetacular!
Alina Castelo Branco 
(28/10/1976)